Menu fechado

HYGIEA SHIELD – a beleza da simplicidade

HYGIEA SHIELD – a beleza da simplicidade

CAMPÂNULA DE PROTEÇÃO PARA INTUBAÇÃO/EXTUBAÇÃO EM PACIENTES COM SUSPEITA OU INFECÇÃO CONFIRMADA POR SARS-COVID-19

 

Clique aqui para comprar/comprar para doar uma Hygiea Shield

 

Descrição Geral

A Hygiea Shield é uma campânula transparente que atua como uma barreira extra de proteção contra a contaminação dos profissionais de saúde durante os processos de intubação/extubação.

Este projeto foi concebido e desenvolvido por uma equipe multidisciplinar de engenheiros e médicos voluntários e está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Descrição Técnica

A Hygiea Shield visa elevar o nível de proteção de toda a equipe durante as execuções dos procedimentos de intubação e extubação, e minimizar o spray de aerossóis no ambiente e sobre os materiais e tecidos na área adjacente.

O produto foi concebido visando garantir o máximo de visibilidade, ergonomia e campo de trabalho para o médico tanto durante procedimento com auxílio de vídeo como através de laringoscopia convencional.

Como a campânula é facilmente desmontável e todos os materiais usados são resistentes a água e a agentes higienizadores típicos de hospitais e sabões, o processo de higienização e armazenamento é muito simples não requerendo cuidados específicos com cantos ou reentrâncias.

O produto se compõe basicamente de 2 componentes principais, a base e a tenda, e alguns elementos auxiliares de fixação, 5 ganchos e 5 abraçadeiras plásticas (tie-wrap).

As figuras abaixo apresentam algumas vistas da Hygiea Shield.

 

Dimensões Gerais da Campânula Montada

  • Comprimento: 605 mm
  • Largura: 602 mm
  • Altura: 500 mm
  • Peso: < 2 kg

Instruções de Fabricação e Montagem

A seguir é apresentado um roteiro detalhado de como se obter a Hygiea Shield a partir dos desenhos disponibilizados neste procedimento.

Fase 1 – Obtenção dos Moldes e Lista de Materiais

1) Imprimir em folha A0 os desenhos contidos nos arquivos “AKH001-000002 A0.pdf” (BASE) e “AKH001-000003 A0.pdf” (TENDA). Imprimindo em tamanho A0 o molde já estará em escala real, 1:1. Os desenhos contém todas as cotas caso se opte por recortar o material de forma mecanizada;

DWG Files Download

 

2) Os materiais necessários são:

  • Placa de policarbonato translúcido com 2 mm de espessura, dimensões externas de 2000 mm de comprimento e 1000 mm de largura. Com 1 placa é possível fazer 3 TENDAS;
  • Placa de acrílico com 6 mm de espessura, dimensões externas de 1800 mm de comprimento e 1200 mm de largura. Com uma placa é possível fazer 4 BASES;
  • 5 ganchos plásticos autoadesivos;
  • 5 abraçadeiras plásticas ajustáveis (tie-wrap).

3) Lista de ferramentas:

  • Tesoura para corte dos moldes;
  • Serra de mão (tico-tico) para corte dos contornos da base e da tenda;
  • Furadeira manual;
  • Brocas de 3 e 4 mm;
  • Lima fina;
  • Lixas com granulometria 220 e 320;
  • Marcador permanente – traçador para marcar o policarbonato;
  • Alicate de corte reto.

Fase 2 – Corte e Preparação

1) Com uma tesoura, recortar o molde da BASE (somente o contorno externo);

2) Com uma tesoura, recortar o molde da TENDA (somente o contorno externo e os 2 furos circulares);

3) Com o molde da BASE recortada, fixar sobre a placa de policarbonato com fita adesiva (colando pelo contorno);

4) Com o molde da TENDA recortada, fixar sobre a placa de policarbonato com fita adesiva (colando pelo contorno e pelos 2 furos circulares);

5) Assentar a placa de policarbonato com os desenhos fixados sobre uma bancada plana e lisa;

6) Com uma serra tico-tico, fazer o recorte dos contornos da BASE e TENDA;

  • Dica: esta etapa deve ser executada por duas pessoas: uma com a serra, outra apoiando por baixo para dar estabilidade.

7) Após corte das peças, BASE e TENDA, devem ser rebarbadas em todos o seu contorno e furos com uso de uma lima fina e das lixas de acabamento;

  • Dica: procurar deixar o mais liso possível para evitar possíveis acúmulos de materiais e partículas.

8) Com uma furadeira ou uma parafusadeira e uma broca de diâmetro 4mm, fazer os furos nas orelhas da TENDA;

9) Com uma lixa fina, limpar a região dos furos nas orelhas da TENDA;

10) Com um marcador permanente, marcar as posições dos entalhes da BASE;

11. Produzir os entalhes na BASE. Se disponível, usinar os entalhes da base com uma fresa de 3 mm de diâmetro, caso não seja possível produzir os entalhes com a furadeira e garantir o acabamento com a lima e lixas;

  • Dica: Primeiramente 1 furo em cada extremo, em seguida, usinar a espessura removendo o material entre os furos;
  • Dica: Com uma lixa fina, limpar a região dos entalhes da BASE.

12. Com um marcador permanente, marcar as posições dos ganchos autoadesivos na TENDA;

13. Remover o papel das superfícies da BASE e da TENDA.

Fase 3 – Montagem

1. Posicionar a BASE sobre uma bancada lisa e firme

2. Posicionar a TENDA nos entalhes da BASE;

  • Dica: Esta operação deve ser executada por duas pessoas;
  • Dica: Começar pelo lado direito e ir encaixando progressivamente;
  • Dica: A primeira pessoa mantém o posicionamento para evitar que as orelhas da TENDA saiam dos entalhes da BASE;
  • Dica: Outra pessoa passa as T-Wraps pelos furos das orelhas.

3. Começar pelo lado direito e ir encaixando progressivamente pelos dois furos das orelhas da TENDA;

4. Após ajustar firmemente as abraçadeiras plásticas (t-wraps), cortar o excesso/pontas;

5. Verificar se a orelha da TENDA ficou bem presa no entalhe da BASE (puxar levemente para cima);

6. Posicionar os ganchos autoadesivos na TENDA nas posições marcadas previamente;

  • Dica: Começar pelo lado direito e colar progressivamente;
  • Dica: Atentar para que a ponta do gancho autoadesivo esteja apontando para trás, no sentido da cabeça do paciente (a cortina de plástico será fixada nos ganchos).

7. Fazer uma limpeza com pano limpo.

Fase 4 – Desmontagem para Higienização e/ou Armazenamento

1. Posicionar a campânula sobre uma bancada lisa;

2. Remoção da TENDA:

  • Dica: esta operação deve ser realizada por 2 pessoas;
  • Dica: A primeira pessoa segura a TENDA pela extremidade na região próxima à base com ambas as mãos. Esta pessoa mantém o posicionamento para evitar que as orelhas da TENDA saiam dos entalhes da BASE;
  • Dica: A segunda pessoa com um alicate de corte diagonal corta as abraçadeiras plásticas;
  • Dica: Começar pelo lado direito e seguir cortando progressivamente cada uma das abraçadeiras plásticas;

3. Desencaixar a TENDA da BASE e abri-la sobre a bancada lisa

Fase 5 – Remontagem

1. Seguir os passos 1 a 5 da Fase 3;

2. Caso algum gancho tenha se soltado ou quebrado, remover e providenciar a substituição por um novo;

3. Fazer uma limpeza com pano simples (cuidado para ser um pano limpo, sem sujeita)

Observações:

  • Não é necessário nenhum tipo de cola, pois as junções são mecânicas;
  • A TENDA mantém-se em forma devido ao encaixe nas fendas da BASE;
  • Utilizar as abraçadeiras de nylon garante que as “orelhas” da TENDA fiquem encaixadas, evitando-se acidentes e melhorando a vedação entre a TENDA e a BASE.

Sugestões de Limpeza e Higienização

Após a desmontagem da Hygiea Shield as abraçadeiras plásticas devem ser descartadas. As partes desmontadas, BASE e TENDA com ganchos, devem ser imersas em substância higienizadora como: detergente desinfetante hospitalar, álcool >70% ou água e sabão.

Sugestões adicionais

  1. O tempo e sequência de higienização devem seguir o protocolo Hospitalar vigente;
  2. Higienizar a campânula antes e depois de cada uso caso haja risco de contaminação;
  3. EVITAR o uso de materiais abrasivos para não danificar a superfície do policarbonato e dificultar a visibilidade da equipe.

Sugestões de Uso

A fim de prover um maior isolamento entre o paciente e a equipe que executa os procedimentos recomenta-se a fixação de uma cortina translúcida de polipropileno flexível (plástico comum) nos ganchos posicionados na campânula Hygiea Shield se estendendo até pelo menos o meio do tronco do paciente.

Esta cortina deve ser gentilmente posicionada / fixada de modo a vedar o espaço interno da campânula.

Para melhorar a segregação do ambiente intra campânula, pode-se fixar a mangueira do sistema de baixo vácuo do hospital para gerar pressão levemente negativa e conter possíveis aerossóis aspergidos pelo paciente durante o procedimento.

Caso seja possível, recomenta-se também a adaptação de peças do tipo mangas-iris nas aberturas de acesso dos braços para melhorar a vedação. Na indisponibilidade destas mangas, sugere-se também a redução da abertura à mínima confortável para trabalho do médico responsável pelo procedimento usando-se filme fino de PVC.

Certamente a introdução de uma barreira entre o paciente e a equipe atuando durante o procedimento pode causar algum desconforto, por isso recomenda-se uma ligeira mudança de posição da equipe ao lado do paciente para garantir o correto acesso a este durante o procedimento.

Todo o material de apoio, como cortina plástica e filme de PVC deve ser descartado logo após o encerramento do procedimento.

Por fim, durante o processo de extubação, sugere-se que após a remoção do cateter da laringe da traqueia do paciente, este seja coletado pelo auxiliar utilizando a cortina plástica que já o envolve antes mesmo do descarte evitando assim possíveis contatos com membros da equipe.

Vídeo

 

Clique aqui para comprar/comprar para doar uma Hygiea Shield

 

Contatos

  • Dr. Bruno Tadashi Misumi (Médico Anestesiologista CRM 113.373) (12)99706-7007
  • Waldemar de Carvalho (Engenheiro Estrutural CREA-SC: 098006-0) (12)98116-1780

Agradecimentos

Agradecemos às empresas Akaer, Troya e Hospital viValle Rede D’Or São Luiz por terem apoiado e cedido recursos, meios e horas de seus profissionais no desenvolvimento da campânula Hygiea Shield.

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO

O projeto da campanula de proteção para intubação/extubação em pacientes acometidos por síndrome respiratória (Hygiea Shield), é disponibilizado para acesso universal na forma como está (“as is”), cabendo a Você a execução do projeto e a responsabilidade sobre o objeto final manufaturado de acordo com o projeto. O projeto e seus autores, coordenadores, apoiadores e parceiros não se responsabilizam (i) pela execução e pela utilização do projeto por você ou por quaisquer terceiros e (ii) por qualquer dano, falha ou defeito apresentado e/ou causado por qualquer objeto executado a partir do Projeto, para si ou para terceiros.

Licença Creative Commons
O trabalho Hygiea Shield de Fernando Coelho Ferraz, Waldemar de Carvalho, Wanderson Eduardo de Oliveira, Bruno Tadashi Misumi está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://www.akaer.com.br/.

Todos os nomes, marcas, logotipos e outros sinais distintivos utilizados neste website são propriedade exclusiva de seus respectivos titulares e não poderão ser utilizados, reproduzidos ou, de qualquer outra forma, atrelados às reproduções do Projeto realizados por terceiros. Nada no presente website deve ser considerado como autorização de uso do nome, marca, logotipos ou qualquer outro sinal distintivo do Grupo Akaer ou hospital ViValle e/ou de seus autores, coordenadores, apoiadores e parceiros por quaisquer terceiros, para quaisquer finalidades.

Os nomes e as imagens dos autores, coordenadores, apoiadores e parceiros do Projeto não poderão ser utilizados por quaisquer terceiros como vinculados às campanulas do Projeto por Você ou por terceiros.